Rádio Metropolitana Manaus

Notícias

Presidente da Aleam, Roberto Cidade destaca iniciativas do Governo do Estado para minimizar danos durante estiagem severa

Presidente da Aleam, Roberto Cidade destaca iniciativas do Governo do Estado para minimizar danos durante estiagem severa

Presidente da Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam), o deputado estadual Roberto Cidade (UB) participou na manhã desta sexta-feira (5), da reunião de acompanhamento da estiagem no Estado. Na ocasião, o governador Wilson Lima atualizou as informações sobre a estiagem e assinou decretos para minimizar os efeitos do fenômeno nas regiões mais afetadas. Entre os decretos estão os de instalação do Comitê de Enfrentamento da Estiagem e do Comitê Técnico-Científico, para assessorar o Comitê de Enfrentamento sobre Mudanças Climáticas Extremas.

“Com planejamento, a gente consegue se antecipar aos problemas que virão. No ano passado, tivemos uma estiagem severa e a tendência é que neste ano, infelizmente, seja pior. No entanto, o Governo do Estado se antecipou, já acionou os órgãos de controle e a Aleam está aqui presente para fiscalizar e colaborar da melhor forma possível. Temos em nosso Estado técnicos preparados. Algumas medidas já tiveram início, como a dragagem dos rios e temos confiança de que essas ações, aliadas a outras, vão minimizar os problemas para o nosso povo”, declarou o deputado presidente.

Decretos assinados

Foram assinados decretos que tratam sobre o estado de emergência em 20 cidades das calhas do Juruá, Purus e Alto Solimões. O decreto abrange as cidades de Guajará, Ipixuna, Envira, Itamarati, Eirunepé, Carauari e Juruá (Calha do Juruá), Pauini, Lábrea, Tapauá, Beruri, Canutama e Boca do Acre (Calha do Purus), e Atalaia do Norte, Benjamin Constant, Tabatinga, São Paulo de Olivença, Amaturá, Santo Antônio do Içá e Tonantins (Alto Solimões).

Também foram assinados decretos que declaram situação de emergência ambiental em 22 cidades da região Sul e da Região Metropolitana de Manaus. São elas: Apuí, Novo Aripuanã, Manicoré, Humaitá, Canutama, Lábrea, Boca do Acre, Manaus, Iranduba, Novo Airão, Careiro da Várzea, Rio Preto da Eva, Itacoatiara, Presidente Figueiredo, Manacapuru, Careiro Castanho, Autazes, Silves, Itapiranga e Manaquiri.

Está proibido, conforme decreto estadual, a prática de fogo com ou sem técnicas de queimada controlada.

Ações anteriores

Em abril, o governador Wilson Lima se reuniu com os ministros de Portos e Aeroportos, Silvio Costa, da Integração e Desenvolvimento Regional, Waldez Góes, e o secretário-executivo do Ministério do Meio Ambiente e Mudanças do Clima (MMA), João Paulo Capobianco, para tratar sobre questões relacionadas à estiagem 2024. Ainda em abril, o governador se reuniu com o vice-presidente da República, Geraldo Alckmin, em Brasília, para tratar sobre o mesmo tema.

Até maio foram realizadas 80 reuniões, com diversos setores, incluindo indústria e iniciativa privada, para tratar sobre os impactos da estiagem severa. Desde maio, os secretários do Estado constroem um plano de trabalho para o período. Em 20 de junho foi apresentado o planejamento das ações para o enfrentamento à estiagem entre elas, a instalação de mais 20 estações do Sistema Simplificado de Tratamento de Água, o “Água Boa”, e o envio de 160 toneladas de medicamentos e outros insumos para os municípios das calhas do Alto Solimões, Madeira, Purus e Juruá.

E já estão em fase de implementação os projetos “Aula em Casa” e “Merenda em Casa”.

Em junho, o Governo Federal, por meio do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT) lançou editais de licitação para a execução de serviços de dragagem, visando garantir a navegabilidade dos rios Amazonas e Solimões durante o período sem chuvas. O edital prevê a contratação das dragagens em quatro trechos: Manaus-Itacoatiara, Coari-Codajás, Benjamin Constant-Tabatinga e Benjamin Constant-São Paulo de Olivença.

Talvez você goste também