Rádio Metropolitana Manaus

Notícias

Com risco de seca severa, Governo do AM começa a enviar medicamentos para municípios da calha do Juruá

Com risco de seca severa, Governo do AM começa a enviar medicamentos para municípios da calha do Juruá

Com o risco de seca severa neste ano, o Governo do Amazonas começou a enviar medicamentos para quatro municípios da calha do Juruá, nesta segunda-feira (1°). Mais de 15 toneladas de insumos para atender a rede hospital foram enviados para os municípios de Carauari, Itamarati, Eirunepé e Juruá.

De acordo com a secretária de Saúde do Amazonas, Nayara Maksoud, nesse primeiro momento, a prioridade é abastecer os 34 municípios das calhas do Madeira, Juruá, Purus e Alto Solimões, onde os efeitos da estiagem costumam ser mais severos.

Para atender a Calha do Juruá, três carretas foram abastecidas com mais de 685 volumes, com medicamentos e insumos que vão reforçar o atendimento básico das unidades de saúde dos municípios. Dentre os itens que estão sendo enviados, está o kit calamidade, composto por 32 medicamentos e 16 insumos estratégicos para o atendimento básico.

Outros medicamentos estão incluídos, como amoxicilina, paracetamol, omeprazol, ibuprofeno, entre outros, além de insumos como ataduras, hipoclorito de sódio, seringas e máscaras.

Segundo a coordenadora da Central de Medicamentos do Amazonas (Cema), Herbenia Peixoto, a ação tem como objetivo antecipar o envio de medicamentos e insumos para que os municípios não fiquem desabastecidos por conta da dificuldade de locomoção e de logística no período da estiagem.

Na última sexta-feira (28), duas embarcações seguiram para a Calha do Madeira, com destino a Apuí, Borba, Manicoré, Humaitá, Novo Aripuanã e Nova Olinda do Norte. Outras duas remessas ainda serão realizadas, disse ela, para as calhas do Purus e Alto Solimões.

Plano de contingência

O plano de contingência da Secretaria de Estado de Saúde (SES-AM) inclui, ainda, o fortalecimento da Telessaúde para consultas on-line, e a remoção de pacientes em casos emergenciais. Além disso, ações de prevenção, preparação e resposta aos desastres relacionados à seca e estiagem, com a finalidade de otimizar os recursos necessários à assistência e ao monitoramento das populações atingidas.

Fonte: G1 Amazonas

Talvez você goste também